INSCREVA-SE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 5 de junho de 2011

Memórias Póstumas de Brás Cubas - Resumo da obra

      
Oi, pessoal!

Apresento a vocês o resumo de uma das obras literárias mais reconhecidas da Literatura Brasileira, feita por minhas colegas de faculdade Camila D'Andrea e Juliana Caetano. Agradeço a elas pela participação no Crase sem Crise!


Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis

 Memórias Póstumas de Brás Cubas é a obra que abre o Realismo, a história narrada pelo defunto-autor que conta sua vida sem esconder nenhum detalhe, todas as suas frustrações e as mudanças sofridas pelo personagem no decorrer de sua existência.
                 “A revolução dessa obra, que parece cavar um fosso entre dois mundos, foi uma revolução ideológica e formal: aprofundado o desprezo às idealizações românticas e ferindo no cerne o mito do narrador onisciente, que tudo vê e tudo julga, deixou emergir a consciência nua do indivíduo, fraco e incoerente. O que restou foram as memórias de um homem igual a tantos outros, o cauto e desfrutador Brás Cubas.”
                A história começa com a sua morte retornando para seu nascimento, o narrador toma essa atitude por contar suas memórias após sua morte e por achar mais apropriado. “Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi o outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim, mais galante e mais novo.”
                Na história ele mostra a realidade da vida burguesa, os pensamentos e as traições escondidas da sociedade. Na sua infância com os maus exemplos por parte de seus tios e a super proteção de seus pais, o tornaram a pessoa que ele é, uma criança malvada e mimada e depois um adulto sem juízo. Ele usa esses exemplos como motivos para ele ter se tornado o homem que se tornou. “Dessa terra e desse estrume é que nasceu esta flor
                Em sua juventude se envolveu com Marcela, interessada apenas em dinheiro, diferentemente do Romantismo, que viviam um amor idealizado, nesta obra Machado nos leva ao jogo de interesses, ao relacionamento para satisfação da carne, quando “Há um esforço, por parte do escritor anti-romântico, de acercar-se impessoalmente dos objetos, das pessoas. E uma sede de objetividade que responde aos métodos científicos cada vez mais exatos nas últimas décadas do século.” - (Bosi) É marcante na obra, a presença da ironia que Machado de Assis cria no personagem Brás Cubas, ao se referir a Marcela: "...Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis".
                Já na fase adulta, Brás Cubas se envolve com Virgília, um caso extra-conjugal, uma aventura, apesar de se dizer apaixonado, Brás Cubas nunca leva Virgília a sério, e ela também não o leva, o relacionamento era por interesse, por amor, mas  não tinha compromisso. “vacilava entre um querer e um não querer, entre a piedade que me puxava à casa de Virgília e outro sentimento, - egoísmo, supúnhamos...”
                Brás Cubas encontra com Quincas Borba e fascina-se com a teoria do Humanitas, criada pelo amigo. Humanistas é a forma que Machado encontrou para ironizar as correntes filosóficas da época. No fim de sua vida ele reencontra Virgília, já de cama em seu delírio de morte, Brás Cubas faz seu balanço de morte, ou melhor, de vida; das coisas que fez ou das coisas que queria ou pretendia ter feito e chega à conclusão que mesmo não tendo realizado nada de grandioso na vida, já que falhara no Emplasto Brás cubas, pelo menos não teve que trabalhar para ter a vida que teve, Brás Cubas foi um burguês que viveu, dançou e aproveitou a vida com suas riquezas e desfrutou dos prazeres que ela oferece sem comprar o pão com o suor de seu rosto. “Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui Califa, não conheci o casamento. Verdade é que, ao lado dessas faltas, coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto.”
                Segundo Bosi “desnudam-se as mazelas da vida pública e os contrastes da vida íntima; e buscam-se para ambas causas naturais (raça, clima, temperamento) ou culturais (meio, educação) que eles reduzem de muito a área de liberdade” .
                Machado conseguiu transmitir em sua obra essas características próprias dos romances realistas, ele mostrou o contraste entre a vida íntima e a vida pública, mergulhou no interior do personagem Brás Cubas, que em vários momentos durante a obra mostrou alguns pensamentos que não eram aprovados pela sociedade e outros que são comuns à  sociedade, mas ninguém,exceto aquele que contava a história, tinha coragem de falar. “Mas eu não tenho aparelhos químicos como não tinha remorsos tinha vontade de ser ministro de Estado.”


Referências Bibliográficas
BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura Brasileira. Edição 45.
ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Editora Ciranda Cultural.

14 comentários:

  1. AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO MACHADO *-*
    Beijo Mônica.

    Ass: Camila Menezes

    ResponderExcluir
  2. Oi, Camila!!!

    Que surpresa maravilhosa!! Volte sempre!

    Muito obrigada por comentar!

    Beijãooo

    ResponderExcluir
  3. muito bom esse resumo parabéns...eu tbm tenho blog se voc~e quiser dar uma passada por lá ficarei grataaa...meu blog é... http://kakachung.blogspot.com/
    bjos e continue assim seu blog esta excelente.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Karina!

    Muito obrigada pela visita e pelo comentário!

    Visitarei seu blog sim!

    Att,

    Mônica

    ResponderExcluir
  5. muito bom resumo !!
    gostei muito do blog

    ResponderExcluir
  6. Obrigada!

    Seja sempre bem -vindo!

    Abraço!

    Mônica

    ResponderExcluir
  7. Parabens pelo seu blog, adorei e o resumo, esta excelente, principalmente para quem vai fazer uma prova daqui a dois dias. Valeu! me ajudou muito na leitura e a minha compreencao a ideia do romance.

    Abracos
    R. Cidade

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Obrigada, seja sempre muito bem-vindo!

    Abraço,

    Mônica

    ResponderExcluir
  9. adooooooooooooorei *o*
    bjs nuzaa ;

    ResponderExcluir
  10. Olá, Nuzza!!!

    Que bom que gostou!

    Abraço,

    Mônica Lima Falsarella

    ResponderExcluir
  11. Muy bueno este resumo.

    ResponderExcluir
  12. Na moral esse resumo foi o melhor que eu li ate agora muiito obrigado me ajudo muiito kk ja nao preciso ler o livro , conseguir entender perfeitamente pelo seu resumo vc é muiito boa em enterpretação de texto parabens bjs weslley *_*

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Muito obrigada!

    Volte sempre!

    Mônica Lima Falsarella

    ResponderExcluir

Faça uma blogueira feliz: Comente!